Julia Gama é excluída do Miss Brasil; motivo seria seu posicionamento político

Miss Brasil usou suas redes sociais para desabafar sobre o assunto; entenda.

julia gama

Na noite desta quinta (4), a atual Miss Brasil, Julia Gama, de 28 anos, usou suas redes sociais para fazer um desabafo. Julia revelou que sua participação na final do concurso, que vai selecionar sua sucessora, foi cancelado.

O evento acontece neste final de semana a bordo de um navio e seria nessa ocasião que Julia passaria a coroa. No entanto, seu nome foi cancelado da final do concurso.

No Instagram, ela disse que foi pega de surpresa e que os reais motivos para ser desconvidada não são claros. No entanto, para ela, as razões podem envolver desde divergências políticas tanto quanto decisões pessoais.

Em um longo texto publicado em sua rede social, Julia Gama disse que foi informada do cancelamento da sua participação através de um e-mail, que recebeu há poucos dias. Ela conta ainda que chegou a questionar a organização sobre o cancelamento, mas não obteve retorno até o momento.

VEJA TAMBÉM:

—> Miss Universo: saiba onde assistir e os detalhes da premiação

—> Andrea Meza é a vencedora do Miss Universo 2021

—> Segunda à sexta e bailarinas: Band revela detalhes sobre o programa de Faustão

“Queridos Missamores, é com tristeza que hoje venho anunciar oficialmente que não estarei presente na final do Miss Universo Brasil 2021. Como eles não deram explicações do porquê de tal decisão me resta respeitar a decisão deles mesmo sem entendê-la. Não posso dizer que sou indiferente a esta situação porque não sou”, iniciou.

Diferente de outras eleitas, Julia já se posicionou uma série de vezes contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o que acredita poder ser o motivo da dispensa.

“Mesmo que compartilhássemos de opiniões distintas e, até mesmo, valores conflitantes, eu acredito que juntos, eu e a Organização do Miss Universo Brasil realizamos um trabalho incrível juntos, que nos rendeu inclusive o título de Vice Miss Universo!”, explicou.

Em entrevista ao Hugo Gloss, ela falou sobre as opiniões contrárias que tinha da organização: “Enquanto eu tinha o contrato com eles de Miss Brasil, que foi até o dia 31 de maio, eu nunca me posicionei politicamente, embora a organização não fosse neutra e seus presidentes, donos e diretores se pronunciassem constantemente a favor do Bolsonaro”, disse.

Julia Gama também falou sobre o assunto ao Jornal Folha de São Paulo: “Hoje não suportei mais e tive que falar, pois todos os fãs estavam questionando muito minha ausência no concurso. É tudo muito delicado pois eles não me deram uma justificativa exata, então tudo que eu falar vai ser uma suposição. Eu realmente não sei qual a razão deles para me desconvidar. Temos sim uma divergência política, já que eles são declaradamente bolsonaristas, e eu não”, declarou.

Também em entrevista ao Jornal, a diretora executiva do Miss Universo Brasil, Marthina Brandt, disse que o motivo nada teria a ver com questões política e que Gama descumpriu regras contratuais, por isso foi desconvidada.

Na madrugada desta sexta-feira (5), a organização do evento divulgou uma nota oficial sobre a polêmica. Confira abaixo.

“Júlia Gama, Miss Universo Brasil 2020, não irá passar a faixa para a vencedora do concurso da edição 2021. A decisão foi tomada em razão de a Miss ter descumprido cláusulas do contrato firmado com a organizadora do concurso. No contrato realizado com a empresa, a candidata compromete-se a zelar pela imagem do concurso nacional e internacional (Miss Universe) e pelo título – cláusula esta prevista e mandatória em todos os contratos das candidatas que concorrem ao certame internacional.

Ao longo dos últimos meses, contudo, a Miss gerou polêmica ao questionar na mídia e para fornecedores as regras do concurso, acusando a organização de ser ultrapassada e machista ao seguir as regras prevista no contrato de franquia com o Miss Universe, afetando , assim, a imagem do maior concurso de beleza do mundo.

A organização declara que o Miss Universo Brasil é uma franquia e segue as normas internacionais do evento.”

Com informações de Hugo Gloss, Correio Braziliense e Folha de São Paulo

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários