Globo de Ouro acrescenta negros e mulheres entre membros

Premiação foi denunciada por não promover a diversidade e foi cancelada em 2022; entenda.

globo de ouro
Foto: Reprodução Internet

Na última sexta-feira (1º), a Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA) anunciou que acrescentou 21 novos membros no prêmio Globo de Ouro. O objetivo é aumentar a diversidade entre os participantes.

De acordo com um comunicado da entidade, com o acréscimo, somam 105 membros da HFPA. Entre os novos integrantes, quase metade é de mulheres, seis são negros, 18 se identificam como asiáticos, 12 como latinos e nove como originários do Oriente Médio.

A atitude aconteceu após o jornal Los Angeles Times publicar, em fevereiro, que o grupo não tinha negros entre seus 87 membros. A publicação também revelou que pode ter acontecido influências externas na escolha de indicados e vencedores do Globo de Ouro.

Após a reportagem, o Globo de Ouro passou a ser duramente criticado pela imprensa e nas redes sociais. Isso fez com que a emissora NBC cancelasse a transmissão da edição de 2022 da premiação.

Para se redimir, a HFPA prometeu realizar diversas mudanças que incluem: diversificar seus membros e proibir que eles aceitem presentes.

Com essas atualizações, a HFPA pretende retomar a premiação em 2023.

VEJA TAMBÉM:

—> Globo de Ouro aprova mudanças para aumentar diversidade entre votantes

—>  Globo de Ouro 2021: confira a lista de vencedores

—> Em protesto, NBC desiste de transmitir o ‘Globo de Ouro’

ENTENDA O CANCELAMENTO

Em maio, a NBC anunciou que não vai transmitir a edição de 2022 do “Golden Globe Awards”, o “Globo de Ouro”.

A premiação é uma das mais tradicionais, voltada para os profissionais do cinema e da televisão, de dentro e fora dos Estados Unidos, e serve como termômetro para o Oscar.

O anúncio da NBC foi uma forma de protesto, após uma reportagem revelar que não havia nenhum negro entre os membros da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA), que está por trás da organização do evento.

Desde a publicação da reportagem, vários estúdios anunciaram que não pretendiam mais trabalhar com a HFPA até que as mudanças sejam realizadas. Na lista estão gigantes como a Netflix, Amazon Studios e WarnerMedia.

Atores como Mark Ruffalo, Scarlet Johansson, Jennifer Aniston e muitos outros também repreenderam a associação.

A organização sem fins lucrativos é composta por jornalistas e fotógrafos globais que fazem matérias sobre a indústria de entretenimento.

Após a grande repercussão negativa, a HFPA prometeu uma mudança transformacional.

A edição de 2021 da premiação ocorreu em fevereiro, e foi transmitido no Brasil pela TNT.

TOM CRUISE DEVOLVEU OS PRÊMIOS

Também em maio, como forma de protesto, o ator Tom Cruise devolveu seus prêmios do Globo de Ouro.

O ator ganhou os prêmios de Melhor Ator por suas atuações em “Jerry Maguire” em 1997 e “Nascido em 4 de julho” em 1990, além de Melhor Ator Coadjuvante por “Magnólia” em 2000.

Com informações de G1

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários