Confira 10 curiosidades sobre o Oscar

Maior premiação do cinema acontece desde 1929 e coleciona muitas histórias. Confira!

Oscar 2021
Foto: Reprodução Internet

No próximo domingo (25), acontece a 93ª cerimônia de entrega do Oscar. A premiação de 2021 será apresentada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e homenageará os melhores filmes lançados entre 1 de janeiro de 2020 e 28 de fevereiro de 2021.

Desde 1929 até hoje, foram muitos prêmios, homenagens, emoção, gafes e curiosidades que ficaram marcadas para sempre na história do Oscar.

Para entrar no clima, além de assistir aos filmes indicados, preparamos uma lista com 10 curiosidades sobre o Oscar. Confira a seguir!

O COMEÇO

A primeira cerimônia aconteceu em 1929 e somente em 1953 foi televisionada pela primeira vez, em preto e branco. Os prêmios foram transmitidos pela rede de televisão NBC. Treze anos depois, em 1966, os telespectadores puderam apreciar a transmissão do evento em cores.

EM CORES

Em 1940, uma produção colorida ganhou o prêmio de melhor filme pela primeira vez. …E o vento levou foi o primeiro filme colorido a ganhar o Oscar de melhor filme, em 1940. Apenas dois anos antes, o filmeNasce uma estrela (a versão original) foi o primeiro a cores a ser indicado nessa mesma categoria. Somente em 1965, todos os cinco filmes indicados para a categoria eram coloridos.

VIU ISSO?

—>Oscar 2021: confira a lista de indicados para a principal premiação do cinema

—> Oscar 2021: onde assistir aos filmes indicados

—> Brasil está fora da disputa pelo Oscar

BAGATELA

A tão sonhada estatueta de ouro vale 1 dólar. Desde 1950, a Academia exige que os vencedores do Oscar assinem um acordo que estipule que nem eles nem seus herdeiros poderão vender seus prêmios sem antes oferecê-los à Academia pelo valor simbólico de 1 dólar. No entanto, existe um mercado negro onde as estatuetas podem ser compradas por um preço muito maior. Especialistas da indústria cinematográfica especulam que cerca de 150 Oscars foram vendidos desde a primeira cerimônia, em 1929.

GRANDE VENCEDOR

Walt Disney detém o recorde de o mais premiado. O criador do Mickey Mouse e do Pato Donald ganhou um total de 26 estatuetas ao longo de sua carreira. Walt Disney também recebeu 59 indicações, a maioria na categoria de melhor curta-metragem de animação.

OS MAIS PREMIADOS

“Ben-Hur”, “Titanic” e “O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei” empatam com o maior número de estatuetas: 11 para cada.

MULHERES NA DIREÇÃO

Em 2010, uma mulher ganhou um Oscar na categoria de melhor direção pela primeira vez. Kathryn Bigelow se tornou a primeira e única mulher a receber o prêmio por seu trabalho no filme sobre a guerra no Iraque Guerra ao Terror.

Apenas cinco mulheres na história foram indicadas para melhor direção. Em quase 100 anos de história, apenas cinco mulheres foram indicadas ao prêmio de melhor diretor de cinema. Em 1977, a italiana Lina Wertmuller foi a primeira a ser indicada. Dezessete anos depois, Jane Campion foi a segunda a receber uma indicação. Em 2004, Sofia Coppola, filha do diretor da trilogia O poderoso chefão, Francis Ford Coppola, recebeu três indicações, incluindo a de melhor direção. Embora Sofia tenha perdido nessa categoria, ela ganhou o prêmio de melhor roteiro original com o filme Encontros e desencontros. Em 2010, Kathryn Bigelow recebeu a indicação. E em 2018, Greta Gerwig foi indicada em sua estreia na direção pelo filme Lady Bird.

HOMENAGEM PÓSTUMA

Apenas dois atores obtiveram a estatueta postumamente.

O ator Heath Ledger morreu em janeiro de 2008, alguns meses antes do lançamento do filme Batman: O Cavaleiro das Trevas, em julho daquele ano. No entanto, apesar de sua morte, sua atuação no filme lhe valeu o prêmio de melhor ator coadjuvante, no Oscar de 2009. A família de Ledger, incluindo sua mãe, seu pai e sua irmã, participou da cerimônia e recebeu o prêmio em seu nome.

Peter Finch foi o primeiro ator a ganhar um Oscar de forma póstuma. Ele recebeu o de melhor ator em 1977 por seu trabalho no filme Network — Rede de intrigas. Finch morreu de ataque cardíaco no dia 14 de janeiro de 1977, menos de três meses antes da cerimônia.

RAINHA DAS INDICAÇÕES

Meryl Streep é a atriz com mais indicações na história do Oscar. A atriz é candidata recorrente ao Oscar desde 1979, quando ganhou sua primeira indicação, pela atuação em O Franco Atirador. Embora tenha perdido nessa ocasião, no ano seguinte, Streep voltou à cerimônia e ganhou o prêmio de melhor atriz coadjuvante, por seu papel em Kramer vs. Kramer. Em 1983, ela foi vencedora por seu trabalho em A escolha de Sofia. A última vez que levou a estatueta foi em 2012 por sua atuação como Margaret Thatcher em A dama de ferro. Ao longo de sua carreira, Streep recebeu 21 indicações, principalmente na categoria de melhor atriz, o que a torna a mais indicada na história do Oscar.

MELHOR ATRIZ

Katharine Hepburn teve uma carreira cinematográfica com mais de seis décadas. Durante esse período, foi indicada 12 vezes e ganhou quatro Oscars como melhor atriz. Hepburn venceu pela primeira vez em 1933, quando tinha apenas 26 anos, por sua participação no filme Manhã de glória. Apesar de ter o recorde geral (homem ou mulher) com mais prêmios, Hepburn nunca compareceu à cerimônia para receber suas estatuetas.

MAIOR GAFE

Um dos momentos mais lembrados do Oscar nos últimos anos foi o erro conhecido como Envelopegate. O que aconteceu foi o seguinte: durante a cerimônia de 2017, os apresentadores da categoria de melhor filme, Warren Beatty e Faye Dunaway, receberam o envelope errado, que continha as informações do prêmio de melhor atriz: Emma Stone. Quando abriu o envelope, Beatty, confuso, mostrou a Dunaway o cartão, e ela anunciou o nome do filme pelo qual Stone havia ganhado a estatueta: La La Land: Cantando estações. O elenco e os produtores de La La Land subiram ao palco para receber o Oscar, mas durante o discurso de agradecimento, a equipe de produção da Academia percebeu o erro e, horrorizada, teve de relatar o erro. O vencedor correto era o filme Moonlight: Sob a luz do luar. Resumindo, o correto seria: melhor atriz, Emma Stone; melhor filme, Moonlight.

No entanto, não foi a primeira vez que um apresentador recebeu um envelope incorreto. No Oscar de 1964, Sammy Davis Jr. apresentava o prêmio de melhor adaptação e leu o nome do cartão que recebeu: John Addison, mas Addison sequer havia sido indicado nessa categoria.

Com informações de Incrível Club e O Globo

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários