Prefeitura de São Paulo cancela carnaval de rua mas mantém desfiles no Anhembi

Protocolos sanitários de segurança para o Sambódromo do Anhembi devem ser decididos nas próximas semanas.

O prefeito da cidade de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), anunciou nesta quinta-feira (6) o cancelamento do carnaval de rua de São Paulo em 2022. O motivo é o avanço da Covid-19 após a chegada da variante ômicron, além do surto de gripe que atinge a capital.

carnaval de rua
Foto: Reprodução Internet

Apesar do cancelamento, o prefeito revelou que os desfiles das escolas de samba de SP no Sambódromo do Anhembi serão mantidos. Isso é, se a Liga das Escolas de Samba aceitar os protocolos sanitários que serão determinados nas próximas semanas.

Os desfiles devem acontecer nos dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro. Os dois primeiros dias são para o Grupo Especial. Os outros dois dias são para as escolas do Grupo de Acesso.

VEJA TAMBÉM:

–> Prefeitura de São Paulo tem data para definir sobre a realização do carnaval

–> Rui Costa cancela o Carnaval na Bahia em 2022: ‘Impossível’

–> Carnaval de rua está cancelado no Rio de Janeiro

“Por conta da situação epidemiológica, está cancelado o Carnaval de Rua de SP. Nós vamos sentar com a Liga das Escolas de Samba para combinar um protocolo para a realização dos desfiles no sambódromo. Caso eles aceitem os protocolos, os desfiles serão mantidos”, disse o prefeito Ricardo Nunes.

A decisão da prefeitura aconteceu após uma reunião com representantes da Vigilância Sanitária e da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Nela, foi apresentado um estudo sobre o comportamento da Covid-19 na cidade nos últimos meses, que mostra o acentuado crescimento do vírus.

A decisão da prefeitura de São Paulo segue a solução anunciada pela Prefeitura do Rio de Janeiro no dia 4 de janeiro. A Prefeitura do RJ decidiu que seu carnaval de rua não será realizado pelo segundo ano consecutivo devido à pandemia.

No entanto, os desfiles de escolas de samba na Sapucaí estão mantidos, segundo o prefeito Eduardo Paes. O prefeito do Rio de Janeiro alegou que no sambódromo é muito mais fácil controlar a entrada das pessoas, além de seguir os protocolos contra a Covid-19.

Com informações de G1

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários