Carnaval de rua está cancelado no Rio de Janeiro

Desfiles na Sapucaí ainda seguem mantidos.

Após muita expectativa do público brasileiro, algumas cidades já começaram a anunciar suas decisões sobre o carnaval de 2022. Nesta terça-feira (4), a Prefeitura do Rio de Janeiro decidiu que seu carnaval de rua não será realizado pelo segundo ano consecutivo devido à pandemia.

Foto: Reprodução Internet.

No entanto, os desfiles de escolas de samba na Sapucaí estão mantidos, segundo o prefeito Eduardo Paes.

Em entrevista realizada hoje, ele explicou que para a liberação dos tradicionais blocos de rua, é necessário uma organização com muita antecedência. O prefeito voltou a citar que havia uma cobrança do patrocinador, que investiria quase R$ 40 milhões, para uma definição.

“Diante desse cenário todo, eu chamei hoje as ligas dos blocos (…) e informei a eles da inviabilidade do carnaval de rua”, explicou.

VEJA TAMBÉM:

–> Prefeitura de São Paulo tem data para definir sobre a realização do carnaval

–> Rui Costa cancela o Carnaval na Bahia em 2022: ‘Impossível’

–> Carnaval e Réveillon devem ser cancelados no Nordeste

No total, mais de 400 blocos estavam representados no encontro com o prefeito. Na semana passada, a Banda de Ipanema já havia anunciado que não desfilaria neste ano devido ao recrudescimento do número de casos.

Paes disse que propôs ao patrocinador que organize eventos ao longo de fevereiro, de graça, com os principais blocos, em três lugares da cidade onde pudesse haver controle. Ainda segundo Paes, a princípio a proposta não foi bem aceita porque os blocos têm uma relação com seus bairros e regiões.

Rodrigo Rezende, presidente da Liga Amigos do Zé Pereira, também confirmou que os blocos vão pensar em alternativas para marcar o carnaval sem desfiles. Ele afirmou que já esperava pela proibição.

No geral, a decisão de não realizar o carnaval de rua foi bem aceita, tirando o detalhe de que todos estão muito tristes com a notícia.

Sobre os desfiles das escolas de samba, o prefeito do Rio de Janeiro alegou que no sambódromo é muito mais fácil controlar a entrada das pessoas, além de seguir os protocolos contra a Covid-19.

Com informações de G1.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários