Aos 82 anos, ator Sérgio Mamberti revela que é bissexual

Eterno Dr. Victor do “Castelo Rá-Tim-Bum” contou em sua nova biografia sobre o seu casamento de 37 anos com Ednaldo Torquato.

Sergio Mamberti
Foto: Reprodução Internet

Sérgio Mamberti, conhecido por interpretar o Dr. Victor no programa da TV Cultura “Castelo Rá-Tim-Bum“, revelou aos 82 anos ser bissexual.

O ator, que já fez diversos trabalhos de sucesso na TV e no teatro, lançou sua biografia “Senhor do tempo”, em que fala sobre sua carreira e sobre algumas histórias da sua vida amorosa.

No livro, o ator dá detalhes de um relacionamento que viveu com uma mulher e outro com um homem.

“Eu sempre falo com muita delicadeza desses temas. Mas num livro como esse, que é tão pessoal, eu não posso deixar de falar disso. Foram experiências muito profundas. Tanto que ouvi por parte da imprensa, comentários dizendo: ‘Olha, o Mamberti é bissexual’. Não me sinto bem com esses rótulos para mim. Na verdade, são encontros. Eu prefiro chamar de encontros, não importa qual é o gênero”, disse Sérgio em entrevista ao site Notícias da TV.

VEJA TAMBÉM:

—> Grupo Giramundo disponibiliza espetáculo ‘A Bela Adormecida’ no YouTube

—> Com fotos ousadas, Luísa Sonza volta para as redes sociais e anuncia novo álbum

—> Laura Cardoso ganhará documentário no Globoplay

O primeiro casamento de Sérgio foi com sua melhor amiga, Vivian Mehr, e durou 18 anos. Juntos, os dois tiveram três filhos. Eduardo, Carlos e Fabrício. Vivian faleceu em 1980, aos 37 anos.

“Nós tínhamos uma sincronia de pensamentos e de criatividade, embora fôssemos bem diferentes. Acompanhei a Vivian até os últimos momentos dela, foi um dos momentos mais difíceis que passei na minha vida. Fiquei quase dois anos me recuperando”, disse Mamberti.

Seu segundo casamento foi com Ednaldo Torquato e durou 37 anos. O relacionamento só acabou após a morte do companheiro, em 2019, aos 62 anos. Juntos, eles adotaram uma filha.

“Não adianta querer esconder, porque a qualquer hora isso pode vir à tona. E se você já não assumiu antes, fica numa situação muito complicada. Eu, particularmente, com relação aos meus filhos, falei logo de cara”, contou.

“Muitos amigos meus, na época, falaram: ‘Você não pode fazer isso’. Mas como é que eu ia esconder dos meus filhos que eu estava com um companheiro, sendo que ele morava comigo? Talvez, a gente tenha tido, em alguns momentos, que enfrentar determinados problemas, mas muito menores do que se eu estivesse tentando esconder “, disse o ator.

CARREIRA

Sérgio começou a sua carreira no teatro com montagens de “O Balcão”, do francês Jean Genet (1910-1986) e “Réveillon”, que lhe rendeu o Prêmio Molière de melhor ator em 1975.

Nas novelas, seu papel de maior destaque foi o mordomo homossexual Eugênio, de “Vale Tudo” (1988).

Na década de 1990, viveu um de seus personagens mais marcantes, o Dr. Victor no programa infanto-juvenil “Castelo Rá-Tim-Bum”, da TV Cultura.

Em 2013, viveu o vilão Dionísio na novela “Flor do Caribe” e, em 2016, fez sua estreia nos serviços de streaming na série “3%” produzida pela Netflix.

No ano de 2017, foi homenageado na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP) no dia do ator.

Em 2019, o ator ganhou destaque na peça “O ovo de ouro”, que conta história de judeus que eram obrigados a matar outros judeus na Alemanha Nazista.

Com informações de Notícias da TV

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários