Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá podem usar a marca Legião Urbana

Decisão do STJ veio cerca de oito anos após disputa judicial sobre a titularidade; entenda.

Legião Urbana
Foto: Reprodução Internet.

De acordo com informações divulgadas pelo G1, na última terça-feira (29), o Superior Tribunal de Justiça manteve a sentença que permitiu aos músicos Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá usarem o nome Legião Urbana.

Giuliano Manfredini, filho do compositor Renato Russo, recorreu de decisão da Justiça do Rio que permitiu uso da marca pelos dois músicos em 2014.

A marca Legião Urbana é administrada por Manfredini, mas mesmo sem autorização do titular os músicos poderão usá-la quando se apresentarem profissionalmente.

O último voto do julgamento, que estava empatado, foi do ministro Marco Aurélio Buzzi nesta terça-feira (29).

VEJA TAMBÉM:

—> Djavan declara que não votou em Bolsonaro e nem apoia seu governo

—> Após críticas, Ivete Sangalo se posiciona contra o governo

—> Banda Titãs se pronuncia contra o governo Bolsonaro

Para a Justiça, Villa-Lobos e Bonfá também foram responsáveis pela divulgação e valorização da marca, por isso a decisão não deve ser revisada.

Através das redes sociais, os músicos atualizam os fãs sobre situação com o processo.

No Instagram Stories, após a divulgação da decisão Marcelo Bonfá apareceu tomando um vinho para comemorar:

“Obrigado a todos, eu não preciso dizer o quão feliz eu estou com esse resultado”, disse o artista antes de virar a garrafa.

O ator, cantor e músico André Frateschi, que anteriormente utilizou o Instagram para se manifestar sobre o caso, informando que “Legião Urbana é um mundo” e que Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá são partes fundamentais da banda, nesta terça-feira comemorou o resultado.

“Julgamento encerrado! A Justiça se fez!”, escreveu.

No dia 26 de maio, Marcelo Bonfá utilizou o Instagram para falar sobre uma matéria da revista Veja. Na legenda da publicação, ele explica que nem ele, nem o Dado pretendem voltar com a banda.

Ele alega que Giuliano quer o resultado financeiro de uma turnê comemorativa aos 30 anos da banda, além da outra tour entitulada “Dado e Bonfa tocam “Dois” e “Que país é esse”, alegando ter direito sobre os nomes.

O artista afirma que em momento algum foi feita alusão sobre o retorno da banda e que a Legião Urbana não é uma banda de um homem só.

“A Legião Urbana antes de mais nada é um grupo musical de músicos e compositores que tem contratos assinados numa gravadora como um grupo musical e o disco entitulado Legião Urbana é direito autoral nosso já que se refere à composições nossas e tem a nossa imagem estampada na capa”, escreveu.

Com informações de G1.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários