Sambista Nelson Sargento é internado com Covid-19

Presidente de honra da Estação Primeira de Mangueira tem 96 anos e já havia tomado as duas doses da vacina.

Nelson Sargento
Foto: Reprodução Internet

O sambista Nelson Sargento foi internado na última sexta-feira (21), no Rio de Janeiro, após testar positivo para a Covid-19.

Nas redes sociais de Nelson, sua família publicou o último boletim médico: “Segundo o mais recente boletim médico, o quadro clínico é estável, apesar da preocupação com a situação pulmonar, em função da covid”.

Eles pediram orações e “reserva” neste momento delicado: “A família pede reserva e orações nesse momento difícil. Continuemos em orações e, tão logo tenhamos novas informações, levaremos ao conhecimento de todos! 💛🙏”, escreveram.

VEJA TAMBÉM:

–> Morre a atriz Nicette Bruno, mais uma vítima do novo coronavírus

–> Atriz Barbara Bruno recebe alta após ser internada e intubada por Covid-19

–> Paulo Gustavo morre aos 42 anos após complicações da Covid-19

Nelson está internado no Instituto Nacional de Câncer (INCA), no centro do Rio de Janeiro. O sambista, de 96 anos, recebeu a segunda dose da vacina contra a Covid-19 no final de fevereiro.

Por conta da idade avançada, enfermeiras foram até a casa do artista para aplicar a vacina. Um vídeo do momento foi compartilhado nas redes sociais de Nelson.

Em 2015, o artista retirou um tumor na bexiga e, 10 anos antes, tratou um câncer de próstata. Devido a idade avançada, ele foi um dos primeiros a receber a vacina Coronavac, em 31 de janeiro, durante cerimônia da campanha de vacinação contra a Covid, no Palácio da Cidade.

Nelson Sargento, nome artístico de Nelson Mattos, é compositor, cantor, pesquisador da música popular brasileira, artista plástico, ator e escritor brasileiro. Atualmente é baluarte e presidente de honra da Estação Primeira de Mangueira

COVID-19 NO BRASIL

O Brasil segue com muitos casos e mortes por Coronavírus. O país tem uma médica de 1.800 mortes diárias por Covid-19.

Nesta quarta-feira (26), o país passou de 450 mil mortes pela doença. Até o momento, apenas 9% da população foi vacinada.

Muitos hospitais, espalhados por todos os estados, estão sem vagas na UTI e a recomendação é que as pessoas fiquem em casa e se cuidem.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários