Familiares de Bruno Covas participam de missa de 7º dia do prefeito de SP

Cerimônia aconteceu na Catedral da Sé e foi organizada pelo PSDB.

Bruno Covas
Foto: Reprodução Internet

Aconteceu neste sábado (22), a missa de sétimo dia pela morte do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, na Catedral da Sé, Centro da capital.

O político do PSDB faleceu no último domingo (16), aos 41 anos, após lutar bravamente contra um câncer diagnosticado em 2019.

Parentes de Bruno compareceram à Catedral da Sé para a cerimônia. Entre eles, seu filho, Tomás, de 15 anos. O governador do estado, João Doria (PSDB), e o atual prefeito da cidade de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) também participaram da missa celebrada por Dom Odilo Scherer.

Além da Catedral, outras igrejas católicas da cidade de São Paulo também tiveram celebrações em memória de Covas. Uma foto do prefeito foi colocada nos templos que realizaram as missas de sétimo dia.

Algumas igrejas realizaram as missas presencialmente e outras transmitiram as cerimônias pela internet em suas redes sociais. As celebrações ocorreram em horários diferentes.

VEJA TAMBÉM:

–> Prefeito de São Paulo, Bruno Covas morre vítima de câncer

–> Morre atriz Eva Wilma aos 87 anos

–> Morre atriz Eva Wilma aos 87 anos

Covas estava internado no Hospital Sírio-Libanês, no Centro da capital paulista, desde 2 de maio, quando se licenciou da prefeitura.

Na noite de sexta-feira (14), a equipe médica do hospital Sírio-Libanês, que cuidava do Prefeito, emitiu um boletim revelando que o quadro de saúde de Bruno piorou, considerado irreversível.

Na segunda-feira (10), Covas havia iniciado uma nova etapa de tratamento, com a combinação de imunoterapia e terapia-alvo com medicamento que reforça o sistema imunológico do paciente, para que ele próprio combata o câncer.

Antes disso, o prefeito passou também por sessões de radioterapia para ajudar a conter um sangramento na cárdia detectado em um exame.

DIAGNÓSTICO

O prefeito Bruno Covas foi internado pela primeira vez em outubro de 2019, quando chegou ao hospital com erisipela (infecção), que evoluiu para trombose venosa profunda (coágulos) na perna direita. Os coágulos subiram para o pulmão, causando o que é chamado de embolia.

Durante os exames para localizar os coágulos, médicos detectaram o câncer na cárdia, região entre o esôfago e o estômago, com metástase no fígado e nos linfonodos.

Covas passou por oito sessões de quimioterapia, que fizeram com que o tumor regredisse. Mas, segundo a equipe médica, não foram suficientes para vencer o câncer. Após novos exames, o prefeito iniciou o tratamento com imunoterapia.

Em janeiro de 2021, após ser reeleito nas eleições municipais e continuar no cargo, Covas anunciou uma nova fase de procedimentos no combate à doença.

Ele tirou uma licença de 10 dias, quando passou a ser submetido a sessões de radioterapia. Na época, estavam previstas 24 sessões de radioterapia complementares para o tratamento.

Em abril deste ano, exames apontaram novos pontos de câncer nos ossos e no fígado.

Com informações de G1

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários