Billy Porter revela ser soropositivo há 14 anos

Assim como seu personagem Pray Tell na série “Pose”, ator é portador do vírus HIV.

Billy Porter
Foto: Reprodução Internet

A arte imitando a vida mais uma vez. Assim como seu personagem Pray Tell, na série “Pose”, Billy Porter revelou que é portador do vírus HIV desde 2007.

O ator premiado falou sobre o assunto pela primeira vez em entrevista à Hollywood Reporter publicada nesta quarta-feira (19).

“Há 14 anos convivo com essa vergonha em silêncio. HIV-positivo, de onde venho, uma igreja pentecostal com uma família muito religiosa, é o castigo de Deus”, disse Porter.

O ator contou como foi quando recebeu o diagnóstico: “Eu era a geração que deveria se cuidar melhor, mas isso aconteceu de qualquer maneira. Era 2007, o pior ano da minha vida. Estava no precipício da obscuridade por cerca de uma década ou mais, mas 2007 foi o pior de tudo. Em fevereiro, fui diagnosticado com diabetes tipo 2. Em março, assinei os papéis da falência. E, em junho, fui diagnosticado com HIV”, afirmou Porter.

Por ser de uma família religiosa da Pensilvânia, o ator sentia ‘vergonha’ de expor seu diagnóstico. Por isso, o fato de ser portador do vírus foi um segredo que ele guardou por anos até de sua mãe.

VEJA TAMBÉM:

–> Após rejeição no BBB, Karol Conká faz melhor estreia da carreira no Spotify

–> Filme ‘Cinderela’ com Camila Cabello terá estreia exclusiva no Prime Video

–> Paula Lima lamenta morte do marido: ‘Nada será como antes’

“Minha mãe já havia passado por tanta perseguição por parte da igreja por causa da minha estranheza, que eu simplesmente não queria que ela vivesse o seu ‘eu te disse'”. “Não queria colocá-la nisso. Estava envergonhado, eu era a estatística que todo mundo dizia que eu seria”.

O ator contou ainda que tinha medo de revelar ser soropositivo e perder papéis no cinema e TV. “Estava tentando ter uma vida e uma carreira, e não tinha certeza se conseguiria se as pessoas erradas soubessem. Seria apenas outra forma de as pessoas me discriminarem em uma profissão que já é discriminatória”, continuou.

O ator disse que a quarentena o fez refletir sobre o assunto e ele percebeu que podia revelar esse “segrego”: “Tentei pensar a respeito o mínimo que pude. Tentei bloquear, mas a quarentena me ensinou muito. Todos nós fomos obrigados a sentar e a calar a boca”.

“A COVID criou um espaço seguro para eu parar, refletir e lidar com o trauma da minha vida”, diz. Ele ficou isolado com o marido em uma casa alugada em Long Island.

ARTE IMITANDO A VIDA

Na série “Pose”, Billy Porter interpreta Pray Tell, personagem que também é portador do HIV.  O ator contou que, assim que foi contratado, não contou para ninguém no trabalho que sofria do mesmo que o personagem, mas isso foi ficando pesado com o tempo.

Após um tempo na série, ele resolveu se abrir com o elenco e produção.

“Eu me levantei na frente do elenco e da equipe técnica e de todas as pessoas que ajudaram a criar esse espaço, e falei a verdade porque, a certa altura, a verdade é o caminho responsável. A verdade é a cura. E espero que isso me liberte. Espero que isso me liberte para que eu possa experimentar uma alegria real e pura, para que eu possa experimentar a paz, para que eu possa experimentar a intimidade, para que eu possa fazer sexo sem ter vergonha”.

Foi pela atuação em “Pose” que Billy levou o Emmy de melhor ator de série de Drama, em 2019.

Por fim, o ator falou sobre as dificuldades de ser um homem preto, gay, com HIV, mas que sabe que não vai morrer da doença.

“E como uma pessoa negra, particularmente um homem negro neste planeta, você tem que ser perfeito ou eles vão te matar. Mas olhe para mim. Sim, eu sou a estatística, mas eu a transcendi. É assim que o HIV-positivo se parece agora. Eu vou morrer de outra coisa antes de morrer disso”.

“Estou no momento mais saudável de toda a minha vida. Então é hora de deixar tudo isso ir e contar uma história diferente. Não há mais estigma – vamos acabar com isso. Está na hora. Eu tenho vivido isso e tive vergonha por tempo suficiente”, disse.

PRÓXIMOS TRABALHOS

Billy tem uma lista extensa de trabalho que inclui o lançamento de novas músicas e de um livro de memórias. Além disso, no cinema, Porter se prepara para interpretar a fada madrinha em Cinderela e dirige seu primeiro filme.

Confira a primeira imagem de Billy como a fada madrinha:

“A verdade é a cura. E espero que isso me liberte. Espero que isso me liberte para que eu possa experimentar uma alegria real e pura, para que possa experimentar a paz, para que possa experimentar a intimidade, para que possa fazer sexo sem vergonha”, encerrou.

Com informações de The Hollywood Reporter

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários