Três anos após sua morte, DJ Avicii terá trajetória contada em livro

Produtor musical foi responsável por sucessos como “Wake me up” e “Hey brother”. Lucro das vendas da biografia será destinado à instituição de prevenção ao suicídio.

Foto: Reprodução Internet.

Natural da Suécia, Tim Bergling foi o nome por trás de grandes nomes de sucesso na música como “Wake me up” e “Hey brother”, que até hoje são lembradas.

DJ, produtor, cantor, compositor e multi-instrumentista, ele ficou conhecido mundialmente como Avicii. Nomes da cena eletrônica como Tiësto, David Guetta, Daft Punk, Laidback Luke, Sebastian Ingrosso, Steve Angello, Axwell e Ryan Blair, estavam entre as principais influências para Avicii.

Aos 28 anos, em abril de 2018, ele foi encontrado morto e a causa da morte foi suicídio.

Para relembrar a trajetória do jovem músico de sucesso, o jornalista Mans Mosesson decidiu escrever uma biografia que deve ser lançada em novembro deste ano, tendo como base entrevistas com familiares, amigos e colaboradores de Avicii.

VIU ISSO?

–> Filme sobre história de Chorão estreia nesta quinta-feira (08)

–> Documentário sobre Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr, ganha primeiro trailer

–> Fãs homenageiam Chorão oito anos após morte do cantor

“O livro pinta um quadro honesto da vida de Tim e da jornada dele, sem se esconder as dificuldades, contra as quais ele lutava”, afirma nota recebida pela Billboard.

O livro será intitulado Tim: the official biography of Avicii (Tim: a biografia oficial de Avicii, em tradução livre), foi escrito com a autorização da família do artista. Os lucros serão destinados à Fundação Tim Bergling, que trabalha na prevenção do suicídio entre jovens e promove ações de cuidados com a saúde mental.

Avicii foi encontrado morto em Omã, país da península Arábica, no Oriente Médio. A Fundação Tim Bergling foi criada pela família do artista após seu falecimento, para conscientizar as pessoas sobre as doenças mentais.

Na época do acontecimento, em nota oficial, a família do DJ definiu Avicii como: “Uma pessoa super capaz, perfeccionista, que viajava e trabalhava duro, numa velocidade que levou ao cansaço extremo.” e explicaram que: “Ele queria encontrar paz. Tim não era adaptado para a máquina de negócios em que ele se encontrou; ele era um cara sensível que amava seus fãs mas saiu dos holofotes.”

No ano passado, nesta mesma época, foi realizado um concerto em tributo ao artista intitulado, Avicii tribute concert: In loving memory of Tim Bergling, disponível no perfil do artista no YouTube.

Relembre “Wake Me Up” e “Hey Brother”:

Com informações de G1 e Correio Braziliense.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários