Bianca Bin e Fabrício Pietro estão em cartaz com a peça ‘Jardim de Inverno’

Produção é apresentada no Teatro Faap; saiba detalhes.

Até domingo, dia 10 de julho, a peça “Jardim de Inverno”, ficará em cartaz no Teatro Faap, em São Paulo. Os ingressos estão disponíveis através do site oficial do teatro: (teatrofaap.showare.com.br) e custam entre R$40,00 e R$80,00.

Foto: Reprodução Internet.

Bianca Bin e Fabrício Pietro são os protagonistas da peça que tem direção de Marco Antônio Pâmio (vencedor de três Prêmios APCA) e adaptação dramatúrgica de Fabrício Pietro, “Jardim de Inverno”, do escritor americano Richard Yates (1926-1992).

As sessões acontecem de sexta e sábado, às 20h, e domingos, às 18h e o elenco é composto ainda por nomes como: Erica Montanheiro, Iuri Saraiva, Martha Meola, Ricardo Ripa, Luciano Schwab, Aline Jones, Fabiana Caruso e Lucas Amorim.

A montagem estreou em 2019 e foi vencedora do Prêmio Bibi Ferreira (categorias Melhor Atriz e Ator Coadjuvante em Peça de Teatro, com Martha Meola e Iuri Saraiva) e do Prêmio APCA novamente com Iuri Saraiva na categoria de Melhor Ator.

VEJA TAMBÉM

—> PicniK Festival reúne Pato Fu, Luedji Luna e Letrux

—> Confira os nomes indicados para a 5ª edição do MTV MIAW

—> Line-up completo do Festival CoMA é anunciado com grandes nomes da música

A peça se passa em uma época pré-feminista e levanta questões como a liberdade, os padrões de vida impostos pela sociedade e a sensação de sufocamento na vida familiar. A obra foi adaptada para o cinema (em português com o título “Foi Apenas Um Sonho”), protagonizada por Leonardo DiCaprio e Kate Winslet.

A trama retrata a vida cotidiana de April Wheeler (Bianca Bin) e seu marido Frank (Fabrício Pietro), um casal de classe média aparentemente feliz, que mora com seus dois filhos em um idílico subúrbio de uma pequena cidade nos Estados Unidos, na década de 1950.

A história revela momentos intensos da vida cotidiana deste casal que ao cumprir as convenções sociais impostas sufocam seus mais profundos anseios, envenenando sonhos e aspirações.

O espetáculo nos apresenta a progressiva frustração que acomete os dois, conforme assistem a suas vidas passar como um acúmulo de instantes sem sentido.

A obra gira ao redor das falhas morais de suas personagens centrais ao discutir temas como a liberdade, o quanto as pessoas são capazes de se autossabotar para caber nas expectativas sociais, a distância entre a felicidade idealizada e a vida concreta, além da busca por uma vida autêntica, e os modelos irreais de felicidade impostos pela sociedade, como o homem lida com o sucesso da mulher, seu desejo de autoafirmação e o medo diante de certezas questionadas.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários