Alok pode pagar multa milionária após ser acusado de plágio

DJ teria lançado hits de outros profissionais sem dar créditos; entenda.

Na manhã desta sexta-feira (21), o nome de Alok, um dos maiores DJs do mundo, viralizou nas redes sociais.

Foto: Reprodução Internet.

Os Djs Sean e Kevin Brauer, irmãos que formam a dupla Sevenn, estão acusando Alok de plágio por mais de 12 músicas, inclusive a parceria com Juliette Freire, que foi lançada recentemente.

De acordo com informações divulgadas pela revista Billboard, a estimativa da dívida gira em mais de dois milhões de dólares.

Segundo a publicação, “Un Ratito” canção lançada com Juliette em 14 de janeiro, começou a ser produzida por Kevin em 2017 como “Let’s Make Love (nanananana)”.

VEJA TAMBÉM:

— > Alok é eleito o quarto melhor DJ do mundo

— >  Alok se oferece para ajudar famílias carentes mostradas no ‘Profissão Repórter’

— > Alok doa peruca do próprio cabelo para criança com câncer

Ele foi listado nos créditos da música no Spotify como um dos 14 escritores, mas não como um produtor. “A melodia, a bateria, a guitarra – quase tudo o que você ouve tinha alguma coisa que eu fiz”, disse Kevin a revista.

Confira a lista de músicas citadas:

  • “Un ratito” (Alok, Luis Fonsi, Lunay, Lenny Tavárez e Juliette)
  • “Favela” (Alok e Ina Wroldsen)
  • “Fuego” (Alok e Bhaskar)
  • “Suave” (Alok e Matheus & Kauan)
  • “Got To Get a Grip” (remix de Mick Jagger)
  • “Piece of Your Heart” (remix de Meduza)
  • “BYOB” (remix de System of a Down)

Os irmãos Brauer, que foram criados em uma comunidade no Rio, disseram à Billboard que trabalharam como “produtores fantasmas” em pelo menos 12 músicas e não receberam nenhum crédito, royalties de publicação ou remuneração. Eles também reivindicam o fato de serem os criadores do estilo deep-house Brazilian Bass.

Segundo a revista, os irmãos conheceram Alok em um festival em 2015 e logo começaram a fazer músicas juntos. Sean teria experimentado os sons do baixo e criado duas predefinições que se tornaram a assinatura do que Alok teria, mais tarde, chamado de Brazilian Bass.

Os irmão definiram a relação com Alok como “relacionamento comercialmente abusivo e unilateral”. Como resposta, Alok nega as acusações. Porém, quando questionada, sua equipe de direção enviou um e-mail recusando a responder às perguntas específicas, mas alegam que “ao criar uma falsa narrativa” Kevin e Sean estavam “tentando se apresentar como vítimas e litigar suas disputas com Alok na imprensa, bem como no tribunal da opinião pública.

Eles mencionam ainda que Alok tem “um processo em andamento contra o Sevenn no Brasil, após o DJ não ser creditado em uma série de lançamentos. A ação, movida em 12 de janeiro em um tribunal civil de São Paulo, tem como foco cinco faixas, incluindo “BOOM” com o Tiësto. Eduardo Senna, advogado do Sevenn, chama o processo de “absolutamente falso”.

Com informações de Billboard e G1.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários