MASP anuncia nova sede que terá escola de arte e túnel subterrâneo

Expansão será no antigo edifício residencial Dumont-Adams, localizado ao lado da sede do museu, na Avenida Paulista.

MASP
Foto: Divulgação

O MASP (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand) anunciou nesta semana que irá retomar a construção da segunda sede da instituição.

A expansão será no antigo edifício residencial Dumont-Adams, localizado ao lado da sede do museu, na Avenida Paulista.

O prédio, que hoje está abandonado, possui 14 andares e abrigará diversas obras, além de uma escola de arte e um túnel subterrâneo que terá uma ligação com o MASP.

O projeto aumentará a área do museu em 6.945 m². Os 14 andares abrigarão galerias, salas de aula, laboratório de restauro, restaurante, loja e áreas de evento.

Com tudo isso, a área de exposição do MASP ficará 66% maior.

VEJA TAMBÉM:

–> Réveillon e Carnaval 2022 devem acontecer em São Paulo

–> Museus, teatros e cinemas voltam a funcionar em São Paulo

–> Os principais museus brasileiros que voltaram a receber visitas presenciais

De acordo com o museu, o prédio original receberá o nome de arquiteta Lina Bo Bardi, que projetou o MASP. Já o novo edifício ganhará o nome do primeiro diretor artístico do museu, Pietro Maria Bardi (1900-1999).

As obras começarão em setembro deste ano e a previsão de entrega do novo prédio é em setembro de 2024.

Ao todo, a expansão custará R$ 180 milhões e será financiada por doações de famílias. 

“O MASP passa, assim, pelo maior processo de expansão física da sua história, feito com recursos próprios. Vamos aumentar em 66% a capacidade expositiva do museu, integrando os dois prédios e esse é um investimento muito relevante para a cultura de São Paulo. Acredito que essa expansão consolida o museu e a própria Avenida Paulista como um eixo cultural, quem sabe o mais importante eixo cultural do Brasil, do qual o MASP, sem dúvida, é a âncora”, diz Alfredo Setubal, presidente do Conselho do MASP.

O edifício Pietro será todo revestido com chapas metálicas perfuradas e corrugadas. Com isso, quem estiver dentro do prédio poderá ver a paisagem de fora mas a entrada da luz natural não prejudicará as obras.

Outra novidade é que haverá um túnel subterrâneo que ligará o MASP ao novo prédio.

Atualmente, por conta do pouco espaço, cerca de 1% do acervo do museu é exposto No total, o MASP possui mais de 11 mil obras entre pinturas, esculturas, objetos, fotografias, vídeos e vestuário de diversos períodos, que abrangem a produção europeia, africana, asiática e das Américas.

Desde 1968, o MASP é um dos cartões-postais da cidade e um símbolo da arquitetura moderna mundial do século 20.

Com informações de Casa Vogue e G1

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários