Vale do Anhangabaú e Av. Paulista devem reabrir ao público este mês

Prefeito de São Paulo disse que os locais serão reabertos ao público assim que cidade atingir 70% de vacinados.

Avenida Paulista
Foto: Reprodução Internet

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), afirmou nesta quinta-feira (1°) que deve reabrir o Vale do Anhangabaú e a Av. Paulista para o público assim que a cidade atingir 70% de pessoas vacinadas contra a Covid-19.

Atualmente, a cidade tem 56% dos adultos vacinados com a 1ª dose contra Covid-19. Segundo o prefeito, os 70% devem ser alcançados no fim de julho.

“Chegando a 70% das pessoas vacinadas, nós estamos com esse número em 56%, que deve ser no final desse mês de julho, a gente já vai estar abrindo o Anhangabaú, a Paulista e uma outra área que vai ser igual à Paulista”, disse Nunes , sem se referir qual seria o terceiro local.

VEJA TAMBÉM:

–> Réveillon e Carnaval 2022 devem acontecer em São Paulo

–> Museus, teatros e cinemas voltam a funcionar em São Paulo

–> Festival de Inverno de Campos do Jordão distribui ingressos gratuitos para concertos

Também nesta quinta-feira, o prefeito disse que o Réveillon e o Carnaval 2022 devem acontecer na cidade de São Paulo.

“A princípio, a gente vai estar organizando, se preparando para ter o Carnaval. Nós chegamos, graças a Deus, em 62% do número de leitos de UTI. Tivemos na faixa de 80%, e hoje, não é que é confortável, mas nos deixa um pouco mais tranquilos com relação aos leitos de UTIS”, disse Ricardo Nunes.

E continuou: “A vacinação está acompanhando. Nós passamos de 7 milhões de doses de vacinas na cidade de São Paulo, com 56% da população eletiva já vacinada. A princípio, a cidade terá Réveillon, terá Carnaval”.

Em 2021, as duas grandes festas foram canceladas pela gestão municipal por conta da pandemia do Coronavírus.

O tradicional Réveillon da avenida Paulista, que acontece todos os anos, foi cancelado na virada de 2020 para 2021 e o Carnaval chegou a ser adiado para julho, mas foi cancelado um tempo depois.

PAULISTA ABERTA AOS DOMINGOS

Em 2016, o então prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, criou o programa “Ruas Abertas”, que exigia que a Avenida Paulista fechasse para os carros todos os domingos e ficasse aberta apenas para os pedestres e bicicletas.

Desde então, a cidade seguia o decreto, porém, precisou ser interrompido por causa da pandemia do coronavírus, para evitar aglomeração em abril de 2020 e segue fechada para os pedestres.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários