Frida Kahlo: 5 fatos que talvez você não saiba sobre a artista mexicana

Pintora completaria 114 anos nesta terça-feira (06). Confira curiosidades sobre a artista que até hoje é um ícone das artes plásticas.

Frida Khalo
Foto: Reprodução Internet

Em 6 de julho de 1907, nascia Frida Kahlo. Pintora mexicana conhecida pelos seus muitos retratos, autorretratos e obras inspiradas na natureza do México.

Além de nos brindar com a beleza de sua arte, Frida também nos marcou com suas ideias feministas e revolucionárias.

Não é a toa que, mesmo após 67 anos da sua morte, Frida continua sendo inspiração para diversos artistas, além de um ícone da arte mundial.

Até hoje, a imagem de Frida Kahlo permanece presente em todos os tipos de produtos, de bonecas Barbie a sapatos.

Para homenagear a grande artista, preparamos uma lista com algumas curiosidades sobre sua vida. Confira:

VEJA TAMBÉM:

—> Rita Lee ganha exposição sobre sua vida e carreira em São Paulo

—> Os principais museus brasileiros que voltaram a receber visitas presenciais

—> Exposição exibe, pela primeira vez, o icônico vestido de noiva de Lady Di

Ela se orgulhava muito da sua herança mexicana

Frida Kahlo nasceu em 6 de julho de 1907 em Coyoacán, México, filha de pai e mãe alemães de ascendência indígena e espanhola.

Embora fosse considerada “mestiça” – uma pessoa de ascendência mista europeia e indígena – ela se identificava intimamente com sua herança indígena e amava o povo mexicano.

Aos 16 anos, ela ingressou no partido socialista. Aos 20 anos, ele se tornou membro do Partido Comunista Mexicano.

Durante anos, Kahlo chegou a afirmar que nasceu em 1910, para ser identificada como filha da revolução, de acordo com a Fundação Frida Kahlo.

Ela permaneceu de esquerda e foi uma promotora do povo mexicano ao longo de sua vida.

18 obras de Frida Kahlo para compreender a artista mexicana - eBiografia
Foto: Reprodução Internet

Ele começou a pintar após um acidente quase fatal

Kahlo tinha vários problemas de saúde, mas nunca permitiu que eles a impedissem de viver a vida ao máximo.

Quando criança, ela lutou contra um caso grave de poliomielite que a deixou com várias deficiências. De acordo com a Fundação Frida Kahlo, a doença deixou sua perna direita mais fina do que a esquerda, que ela escondeu com saias longas.

Quando adolescente, ela ficou gravemente ferida em um acidente de carro, quando uma grade de metal quebrou e perfurou sua pélvis, de acordo com a revista Smithsonian. Sua coluna, pernas e pés também foram fraturados no acidente.

Como resultado do acidente, Kahlo foi atormentada por uma dor crônica e usou um espartilho de gesso por toda a vida.

Na cama e entediada, Kahlo começou a pintar com aquarela para passar o tempo. Na verdade, sua mãe mandou fazer um cavalete especial para que ela pudesse pintar deitada, de acordo com a Corporação Frida Kahlo.

Posteriormente, pintou a obra “A coluna quebrada”, que mostrava seu espartilho de gesso.

Foto: Reprodução Internet

Ela se casou (duas vezes) com Diego Rivera

Kahlo conheceu o aclamado pintor mexicano Diego Rivera quando lhe pediu para fazer uma resenha de seu trabalho. Embora Rivera fosse 20 anos mais velho do que ela, o relacionamento deles rapidamente se tornou romântico. Mais tarde, eles se casaram em 1929.

Seus casamentos – eles se casaram duas vezes – foram abalados por seus temperamentos ardentes e casos extraconjugais, de acordo com a Fundação Frida Kahlo.

Os altos e baixos de seu relacionamento foram o assunto de vários trabalhos de Kahlo.

Em “Auto-retrato com cabelo curto”, que ela pintou meses após o divórcio, Kahlo é retratada sentada solenemente vestida com um terno masculino, segurando longas mechas do cabelo recém-cortado.

O terno grande demais é semelhante ao que Rivera usava, e ele era conhecido por admirar seus longos cabelos, que Kahlo pintava no chão.

Foto: Reprodução Internet

Sua inspiração veio da sua própria vida

Kahlo é famosa por seus autorretratos, mas não foi só isso que ela pintou.

Ele abordou a natureza morta, como em “Tunas”. Ele também pintou cenas estranhas e sombrias. “O que a água me deu” representa figuras e paisagens flutuando em uma banheira.

Muitas vezes ela foi inspirada por experiências pessoais dolorosas, como seu casamento tempestuoso, abortos espontâneos e procedimentos médicos.

Muitos de seus autorretratos mostraram feridas físicas e psicológicas, de acordo com a Fundação Frida Kahlo.

Suas pinturas também incorporaram temas de empoderamento feminino e força de vontade.

Contemporâneos, incluindo o famoso surrealista André Breton, descreveram o trabalho de Kahlo como surrealismo. Mas foi um rótulo que ela rejeitou categoricamente.

“Eles pensaram que era surreal, mas não foi. Nunca pintei sonhos. Pintei minha própria realidade”, disse Kahlo sobre seus críticos, segundo o Museu de Arte Moderna.

HACER - Frida Kahlo - O Que a Água Me Deu
Foto: Reprodução Internet

Ele usou a moda como uma mensagem política

Kahlo intencionalmente misturou moda ocidental com roupas indígenas tradicionais para fazer uma declaração política sobre identidade cultural, nacionalismo e feminismo.

Seu estilo anticolonial inclui vestidos modernos adornados com padrões de influência maia, xales e colares tradicionais, entre outros acessórios.

Com o tempo, Kahlo se tornou tão famosa por sua aparência única quanto por seu trabalho manual impressionante.

Inspire-se no estilo de Frida Kahlo - VilaMulher
Foto: Reprodução Internet

Com informações de CNN Espanha

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários