Conselho de Ética da Câmara vota pela cassação da deputada Flordelis

Parlamentar é apontada como mandante da morte do marido, Anderson do Carmo.

Flordelis
Foto: Reprodução Internet

O Conselho de Ética da Câmara decidiu nesta terça-feira (8), por 16 votos a 1, cassar o mandato da deputada Flordelis (PSD-RJ), acusada de ser mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019.

Agora, o processo irá a votação no plenário da Casa Legislativa. Se aprovado pela maioria absoluta dos deputados – 257 do total de 513 -, Flordelis poderá perder o mandato, os direitos políticos e, também, sua imunidade parlamentar.

Ainda não há data para a votação e Flordelis poderá recorrer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa 

Quando se tornou ré, a Justiça não decretou sua prisão devido à prerrogativa da função.

VEJA TAMBÉM:

–>  Famosos assinam pedido de impeachment de Jair Bolsonaro

–> Carlos Bolsonaro processa Bruna Marquezine e Felipe Neto

–> Viúvo de Paulo Gustavo se indigna com carreata de Bolsonaro

O marido da deputada federal Flordelis (PSD) foi assassinado no dia 16 de junho de 2019, em Pendotiba, Niterói. Anderson do Carmo de Souza foi executado com diversos tiros, pouco tempo após chegar em casa.

Em setembro do mesmo ano, a Polícia Civil concluiu que a cantora gospel e deputada federal Flordelis (PSD-RJ) foi a mandante da morte de seu marido.

Onze pessoas foram denunciadas por envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo. Cinco filhos e uma neta da deputada foram presos após Flordelis ser apontada como a mandante do crime.

Flordelis foi indiciada por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, falsidade ideológica, uso de documento falso e organização criminosa, mas não foi presa, nem em caráter preventivo para não atrapalhar as investigações, como é comum em crimes como esse.

Tanto à justiça quanto à Câmara, a deputada evangélica alega inocência. Seis dos seus 55 filhos – quatro deles biológicos e 51 adotivos – estão presos acusados de participação no complô que resultou na morte de Anderson do Carmo.

Em sua primeira versão, a família alegou ter sido vítima de latrocínio. Dias depois, Flávio dos Santos, 39, filho biológico de Flordelis, confessou ter atirado em Anderson do Carmo.

Com informações de G1 e Veja

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários