Gesto de Paulinho ao comemorar gol viraliza nas redes sociais; entenda o que é

Jogador da Seleção Brasileira marcou o quarto gol do Brasil contra a Alemanha nas Olimpíadas e fez uma referência ao Candomblé.

Paulinho
Foto: Reprodução Internet

Nesta quinta-feira (22), a Seleção Brasileira de futebol masculino jogou seu primeiro jogo das Olimpíadas de Tóquio e ganhou de 4 a 2.

Além da vitória, que repercutiu nas redes sociais, a comemoração do jogador Paulinho chamou a atenção dos telespectadores e viralizou na web.

Ao marcar e comemorar o quarto gol do Brasil, Paulinho “atirou” um arco e flecha imaginários.

O gesto deixou os torcedores confusos. Muitos pensaram que o arco simbolizasse as Olimpíadas, no entanto, a comemoração do jogador tem a ver com a sua religião.

Paulinho é do Candomblé e é filho de Oxóssi, o orixá da caça, florestas, dos animais, da fartura, do sustento. Conhecido como um caçador, Oxóssi usa o arco e flecha como ferramenta, chamada de ofá.

VEJA TAMBÉM:

—> São Paulo terá evento esportivo sobre as Olimpíadas de Tóquio 2020, no Japão

—> Jogos Olímpicos de Tóquio terão sinal aberto na TV por assinatura

—> Douglas Souza, do vôlei, viraliza ao gravar vídeos sobre as Olimpíadas

Na África antiga, Oxóssi era considerado o guardião dos caçadores, pois cabia a eles trazer o sustento para a tribo. Hoje, Oxóssi é quem protege aquelas pessoas que saem todos os dias para o trabalho, para trazer o sustento. 

Seus instrumentos de culto são o ofá (arco e flecha), lanças, facas e demais objetos de caça. É um caçador tão habilidoso que costuma ser homenageado com o epíteto “o caçador de uma flecha só”, pois atinge o seu alvo no primeiro e único disparo tamanha a precisão.

Conta a lenda que um pássaro maligno ameaçava a aldeia e Oxóssi era caçador, como outros. Ele só tinha uma flecha para matar o pássaro e não podia errar. Todos os outros já haviam errado o alvo. Ele não errou, e salvou a aldeia. Daí o epíteto “o caçador de uma flecha só”.

REPRESENTATIVIDADE NO FUTEBOL

Na última terça-feira (20), Paulinho usou as redes sociais para pedir que “Exu ilumine o Brasil”. No mesmo dia, o jogador escreveu uma carta para o site “Players Tribune” em que explica um pouco da sua relação com o Candomblé.

“Minha família tem ligação forte com o candomblé e a umbanda. Minha avó, minha mãe, minha tia… É algo que passa de geração para geração. Tenho muito orgulho da minha religião”, escreveu o atacante. 

Após seu posicionamento, a escola de samba Mocidade Alegre convidou o jogador para desfilar no carnaval de 2022.

Paulinho é atleta do Bayer Leverkusen, da Alemanha, e também é o único da seleção brasileira de futebol masculino declaradamente praticante do Candomblé.

Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários